• Chácara da Sefin
  • Faculdade UNIJIPA
  • Reveillon do Vera
  • Universidade Unopar Polo Ji-Paraná
  •  INSIDE
  • Viva Bela Cosméticos
  • Materjipa Materiais para Construção
  • Parceria IFRO e Celso Rocco ensina o uso consciente do computador a alunos da Educação Infantil

    Política
    4 minutos de leitura

    Paulo Portaljipa EM 11/06/2019 ÀS 18:00:19

    Parceria IFRO e Celso Rocco ensina o uso consciente do computador a alunos da Educação Infantil


     

    A Prefeitura de Ji-Paraná, por meio da Secretaria Municipal de Educação – Semed, tem mantido uma parceria com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia – IFRO, campus de Ji-Paraná, desde de 2018 com a participação de alunos do curso Técnico de Informática e os estudantes da Educação Integral da Escola Celso Augusto Rocco, localizada no bairro Habitar Brasil.

    De acordo com Gleidson Guardia, professor dos cursos de Informática e chefe do Departamento de Ensino do IFRO, o Projeto Informática Básica é dividido em dois momentos, o primeiro, às segundas-feiras, quando os alunos do 3º ano Maria Selma Souza Tavares, William Gomes Nunes e Wanderson de Oliveira Sossai trabalham com os alunos do 5º ano da Educação Infantil da Celso Rocco. Com esta turma, que já passou pela Fase I do Projeto na série anterior, os estudos são mais avançados e eles aprendem sobre manutenção básica de computadores, introdução à programação, Excel, World e Power Point aprofundados e softwares de edição de imagem.

    Já às sextas-feiras é a vez dos alunos do 2º ano do IFRO Bruno Ribeiro, Rayssa da Silva, Dauany Felix e Willamy Abreu trabalharem com o 4º ano do Fundamental da Celso Rocco com noções básicas de informática, digitação e o primeiro contato com alguns dos programas mais utilizados tanto para tarefas escolares e pessoais quanto em ambientes de trabalho.

     

    O início

    Segundo a professora Maristela Bonin, idealizadora do Projeto de Informática na Celso Rocco, tudo começou com uma conversa entre ela e o professor Guardia, que demonstrou interesse na parceria, entrou em contato com os alunos e visitou a escola.

    “O professor Gleison trouxe os meninos do IFRO na escola e eles gostaram muito do Projeto. Logo começamos a estruturar a parte pedagógica. Na verdade é também um projeto de serviço social. Aqui é muito longe para as crianças fazerem um cursinho desses. Os pais precisariam se deslocar até o centro. Com o projeto, elas têm esse cursinho básico de Informática na escola, no horário da aula. Uma coisa é a criança ter acesso ao computador, tablete, celular indiscriminadamente, do jeito que ela quer, outra, é quando a criança tem o conhecimento correto, o que e como ela pode fazer uso do equipamento. Nos emocionamos no final do ano da alegria dos pais em ver o certificado de um cursinho nas mãos dos filhos”, lembrou Maristela.

     

    Bom para todos

    “Está sendo muito proveitoso o projeto que estamos desenvolvendo na Celso Rocco, tanto para os alunos do IFRO, que têm a oportunidade de pôr em prática tudo que aprendem na teoria e ainda desenvolvem uma metodologia de ensino/aprendizagem, quanto para as crianças da escola, pois eles têm a oportunidade de aprender a usar corretamente o computador, aprendem a navegar na Internet com segurança e o uso consciente tanto da Internet quanto do equipamento. É uma aprendizagem que vai servir tanto para a vida escolar quanto para vida pessoal e até profissional futuramente”, destacou o professor do IFRO.

    Para a diretora da Celso Rocco, Ana Paula da Silva Albuquerque, o projeto Informática Básica tem um significado especial, uma vez que a escola oferece o Ensino Integral e precisa ter no currículo mais do que a aula regular.

    “Penso que o Projeto tem proporcionado conhecimento para os dois lados, tanto para os alunos do IFRO quanto para os nossos alunos. A Prefeitura fez um grande investimento em computadores para as escolas e para nós vieram 10 máquinas que precisávamos utilizá-las da melhor forma possível. O projeto tem mudado a vida dos nossos alunos, pois antes eles viam as máquinas apenas como aparelhos de videogame, agora, eles as utilizam como recurso pedagógico. Conseguimos otimizar a recuperação paralela, conteúdos…muitos de nós, professores, só tivemos acesso a alguns programas que eles estão aprendendo a operar na faculdade”, destacou a diretora.


     
     
     
     
     
     
    Portaljipa © Direitos Reservados - Conheça os nossos Termos de uso
    Portaljipa - Seu guia virtual! - 27.316.530/0001-08