• Expojipa2 019
  • Materjipa Materiais para Construção
  • Viva Bela Cosméticos
  • Odonto Malini
  • Auto Escola Norte
  • Universidade Unopar Polo Ji-Paraná
  • Chácara da Sefin
  • Dr. Flavio Carlos Otorrinolaringologia
  • Deputado de Rondônia se irrita com questionamentos sobre Bebianno e brada aos berros: ‘Aqui não tem laranjal!’

    Política
    5 minutos de leitura

    Paulo Portaljipa EM 14/02/2019 ÀS 14:58:49

     Deputado de Rondônia se irrita com questionamentos sobre Bebianno e brada aos berros: ‘Aqui não tem laranjal!’

    Porto Velho, RO – O deputado federal eleito por Rondônia Coronel Chrisóstomo (PSL), político cujo primeiro discurso na Câmara Federal trouxe, entre outros pontos, contundente reclamação salarial voltada aos militares [“Brasil, nós ganhamos pouco!"], forçou mais uma vez a veia calibrada de sua têmpora esquerda após se incomodar com questionamentos sobre o ministro da Secretaria-Geral de Bolsonaro, Gustavo Bebianno.

    RELACIONADA
    Vídeo – ‘Brasil, nós ganhamos pouco’, diz deputado de Rondônia em seu primeiro pronunciamento na Câmara ao falar sobre salário dos militares

    O manifesto ocorreu durante a sessão ordinária da última quarta-feira (13), no momento em que as lideranças discutiam um destaque relacionado à Medida Provisória (MP) 852.

    O liberal se sentiu compelido a responder seus pares por conta da primeira grande crise estabelecida no governo federal após denúncia da Folha de S. Paulo atribuindo a Bebianno o repasse de R$ 400 mil do fundo partidário do PSL para Maria de Lourdes Paixão, de 68 anos, candidata a deputada federal de Pernambuco que recebeu apenas 274 votos.

    Ela, inclusive, já foi intimada pela Polícia Federal (PF) a prestar depoimento sobre a suspeita de ter sido usada como laranja pelo partido.


    O ministro, ‘com a corda no pescoço’ após declarações do filho do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro, em publicação reproduzida pela página oficial do pai no Facebook, refuta as acusações e joga a ‘batata quente’ no colo do deputado federal Luciano Bivar, presidente nacional do PSL, imputando ao parlamentar o dever de responder aos questionamentos 

    ASSISTA

    Sobre os desdobramentos do caso, Chrisóstomo bradou aos berros:“Como me toca aqui nesta Casa alguém chamar o nosso povo do PSL de laranjal. Eu sou um soldado! Eu sou um soldado de Rondônia, um soldado do Brasil. E digo mais: eu estou no PSL exatamente porque é diferente, e é do Brasil. É um partido totalmente diferente”.

    Em seguida, aumentou o tom:

    “Não tem laranjal aqui! Aqui não tem laranjal!”.

    O militar encerrou o pronunciamento com uma pérola que faz jus aos discursos de Damares Alves, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos no governo de Jair Bolsonaro:

    “Porque soldado não é vermelho, soldado é azul. E nós não somos laranjal, nós somos pelo governo: não!”, encerrou na condição de liderança do governo ao votar contrário ao destaque em apreço.

    O deputado Glauber Braga (PSOL-RJ) usou a tribuna logo em seguida e chegou a falar sobre o comportamento de Chrisóstomo sem mencioná-lo nominalmente.

    “Não há necessidade de o líder do governo se manifestar de forma tão irritada. [Ele] Ficou muito nervoso. Chegou a gritar aqui nos microfones dizendo que o seu partido não pode ser confundido com partido do laranjal”.

    Braga prosseguiu e provocou:


    Leia mais em http://www.rondoniadinamica.com/arquivo/deputado-de-rondonia-se-irrita-com-questionamentos-sobre-bebianno-e-brada-aos-berros-aqui-nao-tem-laranjal,41425.shtml#ixzz5fX9NyqAw 
    © 2007-2017 Todos os direitos reservados a RONDONIA DINAMICA COMERCIO E SERVICOS DE INFORMATICA LTDA 

    “Mas a partir de hoje, então, o nome está dado: é PSL, Partido Só Laranja, já tá dado o nome. E vocês é que estão reforçando esse nome”.

    Suposto laranjal eleitoral também em Rondônia

    A despeito da fala de Coronel Chisóstomo na Câmara Federal rechaçando a pecha de laranjal à legenda, há, na Justiça Eleitoral de Rondônia (TRE/RO), três ações distintas envolvendo o PSL regional, todas ligadas basicamente pelos mesmos fatos.

    RELEMBRE
    PR aponta fraude eleitoral envolvendo o PSL de Rondônia; até esposa do vice-governador eleito estaria envolvida

    Tanto o Partido da República (PR), representado pelo advogado eleitoralista Juacy Loura Júnior, quanto o próprio Ministério Público Eleitoral (MPE/RO), este através da atuação do procurador Luiz Gustavo Mantovani, promoveram demandas envolvendo suposto esquema de candidaturas-laranja que teriam sido utilizadas pela sigla a fim de burlar a lei.

    LEIA A ÍNTEGRA DAS AÇÕES CLICANDO ABAIXO

    01) PR x PSL (ESTADUAIS)

    02) MPE-RO x PSL (ESTADUAIS)

    03) MPE-RO x PSL (FEDERAIS)

    Leia mais em http://www.rondoniadinamica.com/arquivo/deputado-de-rondonia-se-irrita-com-questionamentos-sobre-bebianno-e-brada-aos-berros-aqui-nao-tem-laranjal,41425.shtml#ixzz5fX9QjrRt 
    © 2007-2017 Todos os direitos reservados a RONDONIA DINAMICA COMERCIO E SERVICOS DE INFORMATICA LTDA 

    Portanto, caso o TRE/RO entenda pela procedência dos pedidos, todos os diplomas conferidos a deputados estaduais, federais e suplentes eleitos pelo PSL em Rondônia podem ser cassados.

    Aliás, na ação de impugnação de mandato em que o próprio Coronel Chisóstomo fora relacionado entre os demandados, o procurador eleitoral usa categoriacamente o termo "candidata laranja", criando inevitável contraste com o prounciamento do militar realizado ontem ao defender enfaticamente a legenda e o governo sobre as acusações que envolvem o ministro Gustavo Bebianno.


    Frase usada por procurador em ação que envolve Chrisóstomo contrasta com posicionamento do parlamentar

    A diferença entre a situação que causou a crise no governo Bolsonaro e o conteúdo das ações judicias discutidas em Rondônia é que, no primeiro caso, a candidata teria sido usada, de acordo com as informações colhidas até agora, para receber monta exorbitante cuja destinação não está esclarecida; a outra, por sua vez,  guarda relação com suposta violação à exigência legal que obriga os partidos a garantirem 30% de vagas do número total de candidaturas a mulheres. 

    De acordo com a lei, a Justiça tem o prazo de até um ano para julgar as três ações contra o PSL regional.

     
     
     
     
     
     
    Portaljipa © Direitos Reservados - Conheça os nossos Termos de uso
    Portaljipa - Seu guia virtual! - 27.316.530/0001-08