• Auto Escola Norte
  • Odonto Malini
  • Materjipa Materiais para Construção
  • Universidade Unopar Polo Ji-Paraná
  • Chácara da Sefin
  • Expojipa2 019
  • Dr. Flavio Carlos Otorrinolaringologia
  • Viva Bela Cosméticos
  • Peão que vivia como marido de menina de 12 anos tem prisão decretada

    Policial
    4 minutos de leitura

    Paulo Portaljipa EM 04/08/2019 ÀS 14:57:15

    Peão que vivia como marido de menina de 12 anos tem prisão decretada

    O peão de fazenda e a mãe de uma menina de 12 anos, presos na última terça-feira (30), por estupro de vulnerável em Colíder (675 km ao Norte), tiveram a prisão em flagrante convertida em preventiva após representação da Polícia Civil.

     
    Gilmar Gomes, 32, convivia como marido da menina há aproximadamente dois meses e confessou ter mantido relações sexuais com ela, na noite anterior a sua prisão. A mãe da menina, C.B.S., também foi presa uma vez que consentia com a situação.

    A prisão deles aconteceu após denúncias de pessoas que não quiseram se identificar. Com base nas apurações, as equipes da Polícia Civil, com apoio da Polícia Militar e Conselho Tutelar, foram até o sítio em que eles ficavam, onde retiraram a criança da situação de risco e prenderam o peão e a mãe da garota.

    Após a lavratura do flagrante, o delegado, Ruy Guilherme Peral da Silva representou pela conversão da prisão em flagrante em preventiva, com objetivo de precatar a ordem pública e assegurar a instrução criminal .

    “Foi solicitado para que os flagranteados continuassem presos para que não voltassem a delinquir, novamente praticando o estupro de vulnerável contra a menor, bem como para não atrapalharem as investigações induzindo, ameaçando ou coagindo a vítima”, disse o delegado.

    O delegado também representou pela concessão de medidas protetivas de urgência a menor que se encontrava em situação de extrema vulnerabilidade. “As medidas protetivas são necessárias para que evitar que outros familiares assediem a menor, a induzindo a manter o relacionamento promiscuo e prematuro”, finalizou.

    Com a decisão do judicário, a mãe da garota foi recambiada para a Cadeia Pública de Colíder e o pedófilo será encaminhado ao Presídio Ferrugem.


    RELEMBRE O CASO: Polícia Civil prende homem que morava com menina de 12 anos


    Um homem que morava com uma adolescente, de 12 anos, foi preso em flagrante pela Polícia Civil com apoio da Polícia Militar e Conselho Tutelar, nesta terça-feira (30), em Colíder (675 km de Cuiabá). G.G., de 32 anos, foi autuado por estupro de vulnerável. A mãe da menor, que tinha conhecimento dos fatos, também foi presa e responderá pelo mesmo crime.

    As investigações iniciaram após a Polícia Civil receber denúncias de pessoas anônimas, de que o acusado convivia com a vítima, há aproximadamente dois meses, com o consentimento da mãe da jovem.

    Com base nas apurações, as equipes da Polícia Civil, com apoio da Polícia Militar e Conselho Tutelar, foram até um sítio, onde eles ficavam e retiraram a criança da situação de risco. O homem foi conduzido para Delegacia de Colíder, onde confessou o relacionamento, além de revelar que manteve relação sexual com a adolescente na noite anterior.

    Diante dos fatos, o delegado Ruy Guilherme Peral da Silva, deu voz de prisão ao suspeito pelo crime de estupro de vulnerável, previsto no artigo 217-A do Código Penal, com pena que pode chegar a 15 anos de prisão. A mãe da menor também foi autuada em flagrante pelo mesmo crime uma vez que tinha conhecimento da situação de abuso sexual, na qual a filha se encontrava.

    Segundo o delegado, há outras denúncias de que a mãe da menor explorava sexualmente as filhas, prostituindo as garotas, por meio de relações sexuais clandestinas, para obter alimentos e outros bens.

    “As investigações continuam para apurar maiores detalhes sobre as denúncias e ver se há ou não materialidade da exploração sexual praticada pela genitora”, destacou.

    O delegado representará pela conversão da prisão em flagrante de G.G. em preventiva com objetivo de evitar a reiteração da conduta criminosa (voltar a praticar os abusos contra a adolescente) ou coagir a menor. A mulher continuará presa e a sua liberdade ficará a critério do Poder Judiciário.

     

    Fonte - Repórter MT

     
     
     
     
     
    Portaljipa © Direitos Reservados - Conheça os nossos Termos de uso
    Portaljipa - Seu guia virtual! - 27.316.530/0001-08