• Auto Escola Norte
  • Faculdade UNIJIPA
  • Odonto Malini
  • Materjipa Materiais para Construção
  • Dr. Flavio Carlos Otorrinolaringologia
  • Chácara da Sefin
  • Viva Bela Cosméticos
  • Universidade Unopar Polo Ji-Paraná
  • Conselho Tutelar diz que não sabia que menina assassinada estava morando com o pai, em RO

    Policial
    3 minutos de leitura

    Paulo Portaljipa EM 24/09/2019 ÀS 18:04:16

    Conselho Tutelar diz que não sabia que menina assassinada estava morando com o pai, em RO

    O Conselho Tutelar de Ariquemes (RO), no Vale do Jamari, informou nesta terça-feira (24) que não sabia que a menina Lauanny Hester estava morando com o pai em Ariquemes (RO). A criança, de 2 anos, foi espancada até a morte no sábado (21) pelo pai e madrasta, na casa da família.

    Em entrevista ao Bom Dia Amazônia, o conselheiro Alexandre Bonfim lamentou a morte da garota e que o órgão não sabia que a menina estava na casa do pai, William Monteiro da Silva, 25 anos. Segundo ele, no dia do homicídio a menor deveria estar com a avó no distrito de Jaci-Paraná em Porto Velho.

    'No mês de fevereiro essa criança já sofreu maus-tratos e foi constatado agressões, mas o Conselho, prontamente atendendo a denúncia que foi feita, aplicou a medida protetiva acolhendo a criança na casa de acolhimento. No mês de maio, a Justiça deu a guarda de Lauanny pra sua vó paterna', diz.

    Na última segunda-feira (23), a Polícia Civil divulgou que a menina já tinha sofrido agressões do pai. Em fevereiro, a menina teve o braço quebrado.

    'Por causa disso, o judiciário determinou que o Conselho Tutelar entregasse a criança pra sua avó paterna e isso foi feito. E foi solicitado que a Vara da infância de Porto Velho fizesse o acompanhamento, então o Conselho Tutelar de Ariquemes não tinha conhecimento que essa criança tinha retornado pra casa dos agressores', conta Alexandre.Nesta terça-feira, o judiciário manteve a prisão preventiva do pai, William, e a madrasta, Ingrid Bernardino Andrade, 23.

    Lauanny Hester Rodrigues, de 2 anos, foi espancada até a morte em Ariquemes (RO) — Foto: Reprodução/ Redes Sociais Lauanny Hester Rodrigues, de 2 anos, foi espancada até a morte em Ariquemes (RO) — Foto: Reprodução/ Redes Sociais Lauanny Hester Rodrigues, de 2 anos, foi espancada até a morte em Ariquemes (RO) — Foto: Reprodução/ Redes Sociais

    O que se sabe até agora:

    • A polícia acredita que a menina foi espancada e morta depois de rasgar um pacote de farinha de trigo;
    • O laudo aponta que Lauanny morreu com traumatismos múltiplos;
    • No corpo dela havia fraturas graves no crânio, tórax, quadril e abdômen;
    • Na delegacia, Willian não chorou por ter matado a filha;
    • Segundo a polícia, a mãe de Lauanny deixou a criança aos cuidados do pai há cerca de 1 ano e a mulher não foi mais vista pela família;
    • A defesa do casal diz que o pai negou ter agredido a criança a ponto de matá-la;

    Morte de Lauanny

    Lauanny Hester Rodrigues, morreu depois de ser espancada pelo pai e a madrasta no fim da manhã do sábado (21), no bairro Marechal Rondon, em Ariquemes.

    A Polícia Militar (PM) e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionados por vizinhos que ouviram a criança sendo agredida. Porém, quando a equipe médica e a guarnição chegaram a menina não apresentava mais sinais vitais.

    O pai da criança, William, e a madrasta, Ingrid, foram localizados pela PM em uma prainha. Segundo a corporação eles estavam deitados embaixo de uma árvore junto com um bebê de 5 meses, que é filho do casal.

    Madrasta da menina está presa em Ariquemes — Foto: Polícia Civil/DivulgaçãoMadrasta da menina está presa em Ariquemes — Foto: Polícia Civil/DivulgaçãoMadrasta da menina está presa em Ariquemes — Foto: Polícia Civil/Divulgação

    Segundo Rodrigo Camargo, delegado responsável pelo caso, durante o interrogatório os suspeitos disseram que, de fato, tinham batido na menina por duas vezes.

    'Às 2h40 da manhã eles acordaram, foram até a cozinha e viram que a criança tinha rasgado um saco de farinha de trigo. Diante disso, o pai acabou dizendo que para corrigir acabou agredindo a criança. Uma agressão absurda que, na minha visão e da polícia judiciária, configura tortura', disse o delegado.

     

    Fonte - G1

     
     
     
     
     
    Portaljipa © Direitos Reservados - Conheça os nossos Termos de uso
    Portaljipa - Seu guia virtual! - 27.316.530/0001-08