• Materjipa Materiais para Construção
  • Governo de Rondonia
  • Mercadão dos Óculos
  • GIRO RAPIDO LAVA JATO
  • Nova Car
  • Viva Bela Cosméticos
  • Grelhados Amburgueria
  • Instituto de Olhos Caius Prieto Ji-Parana
  • Odontologia Drº  Thiago Ribeiro
  • Morena Bonita Salão de Beleza
  • Índia ultrapassa Brasil e vira 2º país mais atingido pelo coronavírus

    Índia se torna o segundo país com mais infecções por coronavírus no mundo

    Mundo
    2 minutos de leitura

    Paulo Portaljipa EM 07/09/2020 ÀS 16:33:25

    Índia ultrapassa Brasil e vira 2º país mais atingido pelo coronavírus



    Índia se tornou o segundo país mais atingido pela pandemia de coronavírus nesta segunda-feira, 7, ultrapassando o Brasil e ficando atrás apenas dos Estados Unidos. Foram adicionados 90.802 casos nas últimas 24 horas empurraram o total da Índia para mais de 4,2 milhões de 



    Os números chegam no momento em que trens urbanos do metrô retomam parcialmente o serviço na capital, Nova Delhi, e em outros estados, enquanto o governo pressiona para sustentar uma economia enfraquecida.


    O Ministério da Saúde da Índia também relatou 1.016 mortes nesta segunda-feira, 7. No total, o país tem mais de 71 mil óbitos , em comparação com 188.540 nos Estados Unidos e mais de 126 mil no Brasil.

    A Índia vem registrando o maior número de casos diários de coronavírus do mundo há quase um mês, enquanto o governo pressiona para abrir empresas para reativar uma economia em contração.


    De acordo com o virologista Shahid Jameel, da Wellcome Trust / DBT India Alliance, há preocupação com a taxa "bastante alarmante" de aumento de infecções.

    "Nas últimas duas semanas, a média aumentou de cerca de 65.000 para 83.000 casos diários, um aumento de aproximadamente 27% em duas semanas e 2% ao dia", disse Jameel à AFP.


    Apesar disso, o metrô em grandes cidades indianas, incluindo Mumbai e a capital Nova Délhi, uma megalópole de 21 milhões de habitantes, retomou o serviço na segunda-feira após meses de fechamento.


    Em todo o mundo, a epidemia matou mais de 880 mil pessoas desde o final de dezembro e infectou mais de 27 milhões.

    A América Latina e o Caribe são a região mais afetada do mundo, com quase 290 mil mortes e mais de 7,7 milhões de infecções.


    Neste domingo, 6, o Equador registrou 10.524 mortes desde o início da epidemia, modificando a metodologia oficial de contagem. E a Bolívia, devido a problemas de comunicação entre as regiões, também relatou um aumento em seu saldo global de mortes por covid-19, que era de mais de 7.000 desde o início da pandemia.


    No Peru, que tem a maior taxa de mortalidade do mundo, com 90 mortes por 100 mil habitantes, o Ministério da Saúde disse que meio milhão de pessoas venceram totalmente o novo coronavírus após terem sido infectadas desde março. Até o momento, foram registrados 683.702 casos confirmados de coronavírus no país andino, com 29.687 mortes.


    Mesmo assim, a vigilância e as restrições continuam, o que fez com que o casal convidado e o pastor evangélico que estavam celebrando um casamento na cidade de Huancayo, no centro do país, fossem presos por não terem respeitado as normas que proíbem encontros de pessoas. numerosos, disse a polícia.


    No Brasil, milhares de pessoas, algumas delas sem máscara protetora, se aglomeraram nas famosas praias do Rio de Janeiro durante o fim de semana, apesar de as autoridades só permitirem que as pessoas tomassem banho, sem se acomodar na areia.

    "Temos medo, mas a felicidade de estar aqui na praia é mais forte", disse Mateus da Silva, 24 anos, que estava sem máscara


    Após vários meses em um platô com média diária de mais de mil mortes, o gigante sul-americano registrou ligeira queda desde o final de agosto e registrou uma média de 869 mortes e cerca de 40 mil infecções por dia na última semana.

    O Ministério da Saúde afirma que os números mostram uma "queda" na curva, mas especialistas independentes afirmam que a melhora ainda é "muito tímida" e "muito recente".

    Em países onde a epidemia parecia ter perdido força, as infecções aumentaram novamente, especialmente na Europa, onde os cidadãos voltam às escolas, universidades e ao trabalho.


    Neste domingo, o Reino Unido registrou quase três mil novos casos, um número sem precedentes desde o final de maio. "O aumento é preocupante", admitiu o ministro da Saúde Matt Hancock à Sky News.


    A epidemia também está ganhando terreno na França, com quase 25 mil novos casos em três dias.

    Na Espanha, onde as escolas estão reabrindo apesar de um forte aumento no número de casos, muitos pais se recusam a mandar seus filhos de volta às aulas, apesar da ameaça de sanções.


    "Você tem que aprender a vida toda, mas só há uma saúde", diz Aroa Miranda, uma desempregada de 37 anos, mãe de dois filhos de 8 e 3 anos, que não os mandará para a escola esta semana em Castellón de la Plana (Leste).


    No Japão, e apesar das incertezas quanto à saúde, o vice-presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), John Coates, disse na segunda-feira que os Jogos de Tóquio, adiados para julho de 2021, serão realizados no próximo ano, "com ou sem" coronavírus.


    "Serão os Jogos que terão conquistado o cobiçado, a luz no fim do túnel", disse ele à AFP: Mas as fronteiras do Japão continuam fechadas para estrangeiros e muitos especialistas duvidam que a pandemia estará sob controle no próximo ano. vem. Além disso, de acordo com várias pesquisas, a maioria dos japoneses quer outro adiamento dos Jogos ou o cancelamento direto.


     

    Fonte - Com informações das agências AP e AFP.

     
     
     
     
     
    Portaljipa © Direitos Reservados - Conheça os nossos Termos de uso
    Portaljipa - Seu guia virtual! - 27.316.530/0001-08