• Faculdade UNIJIPA
  • Universidade Unopar Polo Ji-Paraná
  • Auto Escola Norte
  • Odonto Malini
  • Materjipa Materiais para Construção
  • Viva Bela Cosméticos
  • Chácara da Sefin
  • Dr. Flavio Carlos Otorrinolaringologia
  • Estariam militares dos EUA de olho no 2º maior aquífero da América do Sul?

    Mundo
    3 minutos de leitura

    Paulo Portaljipa EM 23/08/2019 ÀS 17:19:46

    Estariam militares dos EUA de olho no 2º maior aquífero da América do Sul?

    Falta de água no mundo pode estar por trás da política americana na América Latina. Em entrevista à Sputnik Mundo, especialistas falam da possível relação entre militares dos EUA e o Aquífero Guarani.

    Os Estados Unidos possuem presença militar na América Latina por mais de um século. Desde intervenções na América Central até a construção de bases na América do Sul, a política de Washington para a região gera mais dúvidas do que certezas.

    No dia 31 de julho, o Brasil foi designado como aliado prioritário fora da OTAN pelo presidente norte-americano, Donald Trump. A medida dá ao Brasil facilidades na aquisição de equipamentos militares produzidos nos EUA e pode intensificar a cooperação militar entre o Brasil e os países membros da OTAN.

    Base militar

    Ao mesmo tempo, se tornou pública a construção de uma base militar americana na região da Tríplice Fronteira, onde territórios do Brasil, Argentina e Paraguai se encontram.

    'Os militares americanos já estão aqui. A construção da base está a todo vapor', disse em entrevista à Sputnik Mundo o político uruguaio Wilson Ferreira Aldunate.

    A princípio, a base ajudaria autoridades dos três países no combate ao narcotráfico, assim como intimidaria supostos terroristas presentes entre a grande comunidade árabe na região, segundo afirmou o diretor do Instituto de Problemas Nacionais da Universidade Nacional de Lanús, Ernesto López.

    No entanto, tal razão seria um simples pretexto. Em 2009 a Colômbia e os Estados Unidos celebraram um acordo militar que previa o emprego de tropas americanas no combate ao narcotráfico no país sul-americano. Desde então, a cooperação militar pouco influenciou o narcotráfico no país. Segundo Ernesto López, a Colômbia hoje produz 80% de toda cocaína introduzida nos EUA.

    Sendo assim, o aumento da presença militar dos EUA na América Latina se demonstrou ineficiente no combate ao narcotráfico, tornando a suposta construção de sua base no Cone Sul pouco fundamentada.

    O X da questão

    Para Ernesto López, os EUA teriam um interesse muito maior na região, o Aquífero Guarani.

    Estendendo-se por cerca de 1,2 milhão de km², a grande reserva de água potável está presente nos territórios do Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, divulgou o instituto Águas Paraná. Cerca de 65% desta área está em território brasileiro. 

    Estima-se que o aquífero possui um volume de água de 45 mil km³. Além disso, em caso de falta de água potável no mundo, o reservatório poderia atender a população mundial durante 200 anos.

    Segundo dados de 2002 da Organização das Nações Unidas, em 2025 cerca de 3 bilhões de pessoas deverão sofrer falta de água própria para consumo, publicou a Agência Nacional de Águas. Tal situação demonstra a importância de aquíferos com água potável.

    A presença de militares dos EUA bem na região onde está situado o aquífero representaria um passo à frente de Washington na sua tentativa de obter controle do aquífero. A presença militar dos EUA na região poderia ser um sinal da corrida pela água no mundo. 

     

    Fonte - Das Agências

     
     
     
     
     
    Portaljipa © Direitos Reservados - Conheça os nossos Termos de uso
    Portaljipa - Seu guia virtual! - 27.316.530/0001-08