• Dr. Flavio Carlos Otorrinolaringologia
  • Auto Escola Norte
  • Chácara da Sefin
  • Materjipa Materiais para Construção
  • Universidade Unopar Polo Ji-Paraná
  • Expojipa2 019
  • Viva Bela Cosméticos
  • Odonto Malini
  • Rio Acre atinge nível mais baixo da história em Rio Branco

    Atualmente, manter o abastecimento é a preocupação para o Departamento de Pavimentação e Saneamento do Acre (Depasa), apesar de o órgão garan...

    Meio Ambiente
    3 minutos de leitura

    Paulo Portaljipa EM 29/07/2016 ÀS 18:30:19

    Rio Acre atinge nível mais baixo da história em Rio Branco

    Atualmente, manter o abastecimento é a preocupação para o Departamento de Pavimentação e Saneamento do Acre (Depasa), apesar de o órgão garantir que o sistema de captação deve funcionar sem problemas até o rio chegar a 1,25 metro, se for o caso.


    O diretor-presidente do Depasa, Edvaldo Magalhães, diz que o monitoramento está sendo feito.


    “Nossos equipamentos tiveram uma convivência com o rio em até 1,50 metro. Até essa marca, já temos experiência. Abaixo disso, temos que ver como as águas vão se comportando. Estamos tomando todas as medidas para garantir a captação”, explica o gestor.


    O Depasa iniciou a instalação de uma terceira bomba de captação flutuante na Estação de Tratamento de Água (ETA II). A previsão é que o equipamento comece a funcionar na sexta-feira (29).


    Magalhães acrescenta que novos equipamentos já foram instalados e o Depasa aguarda a chegada de outros. “A partir do dia 1° de agosto queremos instalar bombas flutuantes na ETA I, porque até agora ainda está captando na torre. Vamos tentar aumentar a potência para subir a captação”, ressalta.


    Na segunda-feira (25), o Depasa iniciou trabalho de fiscalização em residências no bairro Calafate, em Rio Branco, para evitar o desperdício. “Vamos levar a campanha nos próximos 60 dias. É algo que depende da comunidade, estamos fazendo um trabalho de sensibilização”, acrescenta.


    Nível do Rio Acre em Rio Branco chegou a 1,49 metro nesta sexta-feira (29) (Foto: Caio Fulgêncio/G1)

    Nível do Rio Acre em Rio Branco chegou a 1,49 metro nesta sexta-feira (29) (Foto: Caio Fulgêncio/G1)

    Questões naturais e ação humana
    O pesquisador Foster Brown afirma que, historicamente, o estado acreano já sofreu secas mais severas. No entanto, a situação torna-se mais problemática devido ao aquecimento global e também pelo aumento do tamanho da cidade.


    “Há uma cidade maior do que no passado, a demanda para a água é maior e na área rural é muito mais gente botando fogo do que há 50 ou 100 anos. Temos historicamente secas piores, mas a preocupação é por causa de vulnerabilidade que temos hoje”, fala.


    Neste ano, o baixo nível do rio foi agravado também pelos efeitos do El Niño, que resultou na pouca quantidade de chuvas nos meses de janeiro, fevereiro e março, segundo o pesquisador. O fenômeno também gerou uma elevação nas temperaturas.


    Brown acrescenta que, devido ao aumento da emissão de gás carbônico, a estimativa é que, nos próximos anos, eventos parecidos aconteçam. “Esse é um gás que segura a energia na atmosfera, por isso, a tendência é fazer secas e chuvas mais fortes. Usando isso como base, podemos antecipar eventos mais extremos para o futuro”, acrescenta.


    Seca do Rio Acre
    O governador do Acre, Tião Viana, assinou um decreto de situação de emergência no último dia 7 deste mês por causa da seca do Rio Acre em Rio Branco. O decreto foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) e também dizia respeito a outras cidades acreanas, que também sofrem com a estiagem.


    Rio Acre está com a cota de 1,49 m em Rio Branco (Foto: Caio Fulgêncio/G1)

    Rio Acre está com a cota de 1,49 m em Rio Branco (Foto: Caio Fulgêncio/G1)
     

    Fonte - Assessoria

    Fotográfo - Divulgação

     
     
     
     
     
    Portaljipa © Direitos Reservados - Conheça os nossos Termos de uso
    Portaljipa - Seu guia virtual! - 27.316.530/0001-08