Porto Rolim: Um paraíso ecológico no Vale do Guaporé

Meio Ambiente
3 minutos de leitura

Paulo Portaljipa EM 26/08/2018 ÀS 20:52:58

Porto Rolim: Um paraíso ecológico no Vale do Guaporé

Local ideal para a prática da pesca esportiva, turismo cultural e ecoturismo, Porto Rolim, localizado no distrito de Rolim de Moura do Guaporé, pertencente ao município de Alta Floresta do Oeste, na Zona da Mata rondoniense, atrai anualmente diversos turistas de todo o Brasil.

 

Como chegar a Porto Rolim

 

Saindo do município Alta Floresta do Oeste é necessário percorrer a rodovia P50, parte dela é asfaltada e logo chega o estradão. No caminho os suaves paredões da “Chapada dos Parecis” já impressiona.

Às margens da estrada estão os municípios de Philadeuphia e Izidolândia. São aproximadamente 200 quilômetros cortando a mata até chegar ao porto, que podem ser feitos em duas horas.

 

Eram mais 20 minutos nas águas do rio Mequéns, o dia já terminava e as aves voltavam para seus ninhos. Em uma árvore centenas de pássaros se aglomeravam, um verdadeiro espetáculo para quem pode visitar o local.


O lugar é um cenário estonteante, considerado um dos principais pontos turísticos de Rondônia, em meio as riquezas da floresta amazônica o Porto Rolim é um verdadeiro paraíso ecológico às margens do rio Mequéns.

Com uma biodiversidade rica o rio Guaporé é cercado pela densa floresta amazônica in natura, abrigando mais de 30 espécies de peixes, dentre eles os mais desejados pelos amantes de pesca esportiva: Pirarara, Cachara, Caparari, Tucunaré, Corvina entre outros.

Pesca esportiva

O local chama atenção dos amantes da pesca esportiva, devido a grande variedade de peixes, o Porto Rolim se torna um berçário natural de peixe, onde chega a possuir mais de 30 espécies.

E foi por esta característica que o empresário, Marcos Tortosa, veio de São Paulo pela quarta vez pescar no Guaporé.
“Eu volto pela qualidade do rio, a diversidade de peixes, a beleza e a natureza. Aqui nós encontramos muitos peixes, desde Pirarara grande, Cachorra, Tucunaré, Traíra e Piranha também têm muitas. O ambiente aqui também é muito preservado, acho que esse é o diferencial daqui, a preservação de ambas as partes, tanto Brasil quanto Bolívia. Aqui nós viemos só para se divertir através da pesca esportiva, nós pegamos os peixes e soltamos”, afirmou Marcos.

Para os amantes do ecoturismo é possível se deparar com as mais exóticas espécies de animais, como os biguás, tracajás, tartarugas da amazônia, e o revoar dos pássaros que feito uma pintura abrilhantam a paisagem intocada pelo homem.

O turista ainda pode ser surpreendido com a visita de espécies mais selvagens, como os jacarés e o mais temido felino da América do Sul e símbolo da floresta amazônica, a onça-pintada.

Para quem navega no rio Guaporé, além de visualizar a paisagem privilegiada, pode aproveitar o descanso das águas, sossegar a mente e contemplar este ambiente de magnificência, localizada a 800 quilômetros da capital rondoniense.

Confira a reportagem especial:

EXPEDIENTE

Reportagem

Marlon Mariano

Imagens

Thiago Rodrigues

Edição/Texto

Natália Figueiredo

Jaylson Vasconcelos

 

Fonte - Diário da Amazônia

 
 
 
 
 
Portaljipa © Direitos Reservados - Conheça os nossos Termos de uso
Portaljipa - Seu guia virtual! - 27.316.530/0001-08