• Dr. Flavio Carlos Otorrinolaringologia
  • Materjipa Materiais para Construção
  • Viva Bela Cosméticos
  • Odonto Malini
  • Expojipa2 019
  • Chácara da Sefin
  • Universidade Unopar Polo Ji-Paraná
  • Auto Escola Norte
  • Jovem que matou ex no ato sexual é condenada a 13 anos e fica furiosa

    O Tribunal do Júri condenou a jovem Vania Basílio Rocha a 13 anos de prisão por ter assassinado o ex-namorado, durante o ato sexual, em Vilhena (RO). O julgamento da acusada inici...

    Judiciário
    4 minutos de leitura

    Paulo Portaljipa EM 15/09/2016 ÀS 18:52:40

    Jovem que matou ex no ato sexual é condenada a 13 anos e fica furiosa

    O Tribunal do Júri condenou a jovem Vania Basílio Rocha a 13 anos de prisão por ter assassinado o ex-namorado, durante o ato sexual, em Vilhena (RO). O julgamento da acusada iniciou às 9h desta quinta-feira (15) no Fórum da cidade e foi marcado por declarações inéditas e polêmicas. Para o promotor, Vania alegou que levou a faca na bolsa até a casa por medida de segurança e que no local encontrou a calcinha de outra mulher, o que a deixou enciumada. Ao ouvir a sentença, feita pela juíza Liliane Pergoraro, Vania fez cara de "furiosa" e não chorou. A defesa diz que vai recorrer da decisão.


    Vania, atualmente com 19 anos, chegou ao Fórum local com aspecto abatido e foi ouvida pelo MP-RO e pela própria defesa, pois a Justiça dispensou todas as testemunhas do caso. Ao ser questionada pela promotoria sobre o que teria ocorrido no dia do crime, a ré disse que os fatos ainda estão embaralhados em sua cabeça e chegou a chorar no início.


    Ela também contou que foi até a casa de Marcos Porto para uma despedida. Ao chegar à residência, ela conversou com o irmão do ex-namorado e depois foi para o quarto da vítima. Lá, Vania afirma ter encontrado a calcinha de outra mulher. Naquele momento, Marcos deitou na cama, ela tirou a blusa e jogou no rosto do rapaz e em seguida pegou a faca. Segundo ela, a vítima chegou a dizer: "você está louca, guria".


    Vania ouve sentença feita pela juiza Liliane Pergoraro (Foto: José Manoel/ Rede Amazônica)

    Vania ouve sentença feita pela juiza Liliane Pergoraro (Foto: José Manoel/ Rede Amazônica)

    A ré relatou que deu o primeiro golpe de faca na clavícula do ex-namorado e depois na barriga, mas que não se lembra do resto da sequência dos fatos. Vania disse que desconfiava que o ex-namorado a traía e que já tinha surpreendido Marcos com outra mulher.


    O fato da calcinha de outra mulher é novidade no caso Vania. Até então, a acusada declarava que teria ido na casa apenas para se despedir, mas nesta quinta contou à juíza que o fato de ter visto peças íntimas de outra mulher na casa a deixou com ciúmes, o que motivou o crime. Ela negou que tivesse ido à residência apenas para matar o ex.


    Outra versão diferente que Vania contou no julgamento foi quanto ao volume do som no momento que ela matar Marcos. Em dezembro, quando havia sido presa, ela declarou que aumentou a música de propósito, para ninguém ouvir os gritos de socorro, mas nesta quinta afirmou que o ex-namorado foi quem pediu para ela colocar o som mais alto.




    Sobre a faca que carregava na bolsa, a ré contou que andava com um objeto cortante por questões de segurança e que naquele dia não havia encontrado o canivete que andava consigo como de costume, e, por isso, pegou uma faca de cozinha e colocou na bolsa.


    Revelações
    Ainda em depoimento à juíza, Vania contou que na adolescência furtou e usou maconha e que chegou a fugir da casa da mãe diversas vezes. Segundo ela, durante o namoro com Marcos tiveram uma briga e a vítima acabou quebrando o celular dela, pois ela estar repassando fotos de cunho sexual para amigas.


    Quando viu Marcos quebrando o celular, Vania começou a quebrar todo o cômodo da casa de raiva. Em audiência, a ré confirmou que a relação dos dois era violenta, porém eles continuaram transando mesmo depois de se separarem.


    Ainda segundo Vania, ela não se arrepende do crime em si, porém não imaginou que o caso dela ganharia tanta repercussão na imprensa. Para ela, a cobertura feita prejudicou os planos dela.


    Os laudos apontaram que Vania tem um perfil violento, mas que isto não é corriqueiro de todas as pessoas com diagnóstico de sociopatia. Os psicólogos também chegaram a conclusão de que Vania não consegue obedecer ordens, tem capacidade de demonstrar culpa e aprender com as experiências. Laudos também comprovam que ela é manipuladora e tenta criar história para passar a outras pessoas uma responsabilidade do fato.


    Procurado, o defensor público George Barreto diz que vai recorrer da decisão de Vania. Após a sentença, Vania foi levada de volta ao presídio feminino de Vilhena, onde está presa desde dezembro de 2015.


     


    Vania tem 18 anos e trabalhava como vendedora, em Vilhena (Foto: Arquivo Pessoal)

    Vania foi presa aos 18 anos e trabalhava como vendedora, em Vilhena (Foto: Arquivo Pessoal)
     

    Fonte - G1/]RO

    Fotográfo - José Manoel/ Rede Amazônica)

     
     
     
     
     
    Portaljipa © Direitos Reservados - Conheça os nossos Termos de uso
    Portaljipa - Seu guia virtual! - 27.316.530/0001-08