CLIPPING: DELA

Os documentos contendo as delações de 77 executivos e ex-executivos da empreiteira foram entregues pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ao Supremo Tribunal Federal (STF). ...

Judiciário
2 minutos de leitura

Paulo Portaljipa EM 20/12/2016 ÀS 13:17:50

CLIPPING: DELA

Os documentos contendo as delações de 77 executivos e ex-executivos da empreiteira foram entregues pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ao Supremo Tribunal Federal (STF). Cabe agora ao ministro Teori Zavascki homologar ou rejeitar cada um dos acordos de delação. São centenas de depoimentos por escrito e em vídeo e o recesso do STF começa amanhã. É provável que a equipe de assessores e juízes auxiliares de Teori Zavascki comece a análise durante o recesso para começar as homologações em fevereiro. A ministra Cármen Lúcia, presidente do STF, ofereceu uma força tarefa para agilizar o trabalho de Teori. (Estadão)




Cunha é transferido para penitenciária


O juiz Sérgio Moro determinou que Eduardo Cunha (PMDB-RJ) seja transferido para uma penitenciária, em São José dos Pinhais. Cunha está hoje na carceragem da Polícia Federal. A Defesa de Cunha pede suspensão da transferência, alegam tratamento diferenciado para pressionar uma delação premiada de seu cliente. Outros cinco presos da lava jato também estão na carceragem da PF, no entanto o pedido foi indeferido e cunha foi transferido.


Antes da transferência Cunha assistiu, por videoconferência, a audiência em processo sobre propina na liberação de recursos do Fundo de Investimento do FGTS. O motorista do ex-vice-presidente da Caixa Fábio Cleto, confirmou reuniões semanais do dirigente com o ex-presidente da Câmara. Em delação premiada Cleto afirmou que Cunha ficava com 80% da propina em todos os contratos do FI-FGTS e que a propina representava 1% do valor dos contratos com recursos do fundo. (O Globo)


Moro aceita nova denúncia contra Lula


Pela quinta vez o ex-presidente Luiz Inácio Lula da silva passa a ser réu em ação penal. São três no âmbito da Operação Lava Jato, uma na Operação Zelotes e uma na Operação Janus. Nesta nova ação a acusação é de corrupção passiva e lavagem de dinheiro relacionados à empreiteira Odebrecht. Segundo acusação dos procuradores, propina da Odebrecht teria sido destinada para aquisição de um terreno onde seria construída a sede do Instituto Lula. Em despacho, Moro destacou que a aceitação da denúncia “não significa juízo conclusivo quanto à responsabilidade criminal” do petista. A defesa de Lula informa que o ex-presidente e sua família “jamais foram beneficiados por qualquer dos dois imóveis indicados na denúncia” ou “receberam qualquer vantagem indevida de contratos da Petrobras”. (Folha)


 

Fonte - Assessoria

Fotográfo - Divulgação

 
 
 
 
 
Portaljipa © Direitos Reservados - Conheça os nossos Termos de uso
Portaljipa - Seu guia virtual! - 27.316.530/0001-08