• Supermercado Irmãos Gonçalves
  • Q FOME
  • Odontologia Drº  Thiago Ribeiro
  • Materjipa Materiais para Construção
  • AABB-JIPA - Associação Atlética Banco do Brasil
  • Viva Bela Cosméticos
  • Mãe de menino com zika esperou 3 meses por resultado de exame, em RO

    Quem vê Willian Goés Queiros andando a cavalo pelo pasto não imagina que há três meses ele nem mesmo conseguia se levantar da cama. Durante a aula, em setembro, o meni...

    Geral
    3 minutos de leitura

    Paulo Portaljipa EM 30/12/2015 ÀS 12:35:39

    Mãe de menino com zika esperou 3 meses por resultado de exame, em RO

    Quem vê Willian Goés Queiros andando a cavalo pelo pasto não imagina que há três meses ele nem mesmo conseguia se levantar da cama. Durante a aula, em setembro, o menino de 8 sentiu fortes dores pelo corpo e acabou sendo internado. Inicialmente a equipe médica pensou que ele estivesse com Chikungunya e decidiu coletar amostras de sangue para enviar a Belém (PA). Na segunda-feira (28), três meses depois da coleta, o resultado deu positivo para zika, o primeiro caso do estado. "Três meses esperando. Na época que ele passou mal, nenhum remédio cortava as dores”, diz a mãe do garoto, Simone Goés Queiroz. 


    De acordo com a Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), Willian é o primeiro caso do zika vírus confirmado em Rondônia. A família, que mora em Vilhena (RO), recebeu a notícia na segunda, enquanto passam as férias na casa da tia do garoto, em Ji-Paraná (RO), região central do estado.


    Em entrevista, go garoto relembrou quando os primeiros sintomas da doença apareceram pelo corpo. “Eu senti uma dor muito forte na barriga. Estava fazendo prova. Falei com a professora e ela disse que era para eu terminar. Consegui terminar a prova, mas minha cabeça já estava doendo muito. Fui para direção e eles me liberaram para ir para casa”, relembra William.

    A mãe do garoto, Simone Goés Queiroz, conta que o filho mal conseguia pedalar quando chegou em casa. "Quando deu a noite ele estava queimando em febre e tinha manchas vermelhas na barriga e costas. A parte branca dos olhos já estava toda muito vermelha, daí procurei um médico", conta a mãe.


    No dia seguinte o garoto não conseguia andar sem se segurar em alguma coisa. “Quando voltamos ao hospital, precisamos de uma cadeira de rodas para levá-lo do carro para o hospital, de tão debilitado que ele estava”, conta a mãe.


    Segundo a mãe, a semana seguinte foi ainda mais angustiante para a família, pois os médicos não descobriram a doença. “O médico estava muito preocupado com toda a situação. Tínhamos que ir todos os dias ao hospital”, relembra Simone.


    Sem reação
    Como o menino não reagia a nenhum medicamento, a equipe médica decidiu aplicar um antibiótico muito forte. "Nenhum remédio cortava a febre, que chegou passar os 39°C. O remédio era tão forte que o ele nos pediu para interná-lo, para caso houvesse alguma reação contrária", conta.


    Mãe conta que garoto não conseguia nem mesmo ficar em pé (Foto: Pâmela Fernandes/ G1)Mãe conta que garoto não conseguia nem mesmo ficar em pé (Foto: Pâmela Fernandes/ G1)

    Depois de tomar o remédio, ainda em Vilhena, o garoto já apresentou sinais de melhora. A febre baixou e as manchas vermelhas começaram a sumir. No dia seguinte, o garoto já conseguia se levantar. Logo depois, a mãe e a criança seguiram viagem para Porto Velho para continuar sendo medicado.


    O vírus da dengue foi confirmado no menino, mas por causa do quadro clínico de William, o médico e a mãe desconfiavam de outra doença. Segundo Simone, a primeira suspeita do médico foi o vírus da chikungunya. “Como os sintomas são bem parecidos, colhemos amostras e mandamos para fazerem os exames”, conta a mãe. O resultado só chegou mais de mês depois, sendo negativo para o chikungunya. Já um segundo exame foi positivo para o zika vírus.

     

    Fonte - G1

    Fotográfo - Divulgação

     
     
     
     
     
    Portaljipa © Direitos Reservados - Conheça os nossos Termos de uso
    Portaljipa - Seu guia virtual! - 27.316.530/0001-08