Portaljipa
  •  
  •  

F

A temporada 2016 do Mundial de F1 começou com uma corrida pra lá de movimentada, com muitas estratégias de pista em resultado da nova regra dos pneus e também por um grande...

Esporte

POR Paulo Portaljipa EM 21/03/2016 ÀS 13:11:55

 F

A temporada 2016 do Mundial de F1 começou com uma corrida pra lá de movimentada, com muitas estratégias de pista em resultado da nova regra dos pneus e também por um grande susto. Depois de ver Sebastian Vettel brilhar na largada e assumir a ponta do GP da Austrália, Nico Rosberg teve de usar de uma grande tática para reverter o quadro, assumir a liderança e começar o campeonato no topo do pódio neste domingo (20). Lewis Hamilton fez uma péssima largada, mas conseguiu se recuperar ao longo da prova para terminar em segundo, enquanto Vettel sucumbiu ao melhor desempenho da Mercedes no fim, mas assegurou seu lugar no pódio.

Mas a grande marca da corrida foi a fortíssima batida de Fernando Alonso na volta 19 da prova. O espanhol perdeu o ponto de frenagem ao tentar ultrapassar a Haas de Esteban Gutiérrez, perdeu o controle do carro e capotou no fim da curva 3, batendo muito forte e causando um grande susto. Por muita sorte, Fernando saiu do carro andando, foi avaliado e liberado pouco depois pelo corpo médico da F1.

Daniel Ricciardo terminou em quarto lugar depois de ter feito uma grande prova com a Red Bull. Felipe Massa também começou bem a temporada com um sólido quinto lugar na Austrália. O destaque ficou por conta da enorme estreia da Haas, que chegou aos pontos com Romain Grosjean, sexto lugar. O franco-suíço teve grandes méritos ao colocar o carro da mais nova equipe da F1 à frente da Force India de Nico Hülkenberg e da Williams de Valtteri Bottas. Carlos Sainz e Max Verstappen, da Toro Rosso, fecharam em décimo após uma disputa que promete render muita polêmica nas próximas semanas. Felipe Nasr, por sua vez, foi discreto e terminou só em 15º.


 


© Fornecido por Grande Prêmio


Saiba como foi a disputa do GP da Austrália de F1

A primeira largada da temporada foi abortada. O motivo: o carro de Daniil Kvyat ficou parado na reta dos boxes, enquanto vinha para alinhar seu Red Bull no grid de largada em Albert Park. Pelo segundo ano seguido, o russo sequer larga em Melbourne. Assim, a prova teve sua duração diminuída, de 58 para 57 voltas.

Quando a largada aconteceu pra valer, as Ferrari atropelaram as Mercedes. Vettel partiu de forma exuberante, passou Lewis Hamilton e Nico Rosberg e pulou para a liderança. Kimi Räikkönen também brilhou e assumiu o segundo lugar. Em contrapartida, Hamilton despencou de pole para sexto lugar, com Rosberg em terceiro, à frente de Max Verstappen e Felipe Massa, pressionado pelo tricampeão.


 


© Fornecido por Grande Prêmio


A surpresa naquele começo de corrida era a grandíssima posição de Pascal Wehrlein, que vinha em 14º com a Manor.

Na quarta volta, Hamilton fez sua ultrapassagem sobre Massa e subiu para quinto lugar sem dificuldades. Por sua vez, o brasileiro era pressionado pela Toro Rosso de Carlos Sainz. Os carros de Faenza, aliás, faziam uma grande abertura de temporada, com Verstappen se sustentando em quarto com um carro excepcionalmente estável, sobretudo em curvas.

Impressionava o quanto a Toro Rosso andava, de modo que Hamilton tinha dificuldades e não conseguia ultrapassar Verstappen. Mais atrás, a Williams não tinha o melhor ritmo e era superado por Daniel Ricciardo, com uma Red Bull bem eficiente.


© Fornecido por Grande Prêmio


Rosberg antecipou seu primeiro pit-stop, enquanto a Ferrari trouxe Vettel para os boxes na 14ª volta. Assim, Räikkönen assumiu a liderança, com Hamilton vindo em segundo, já que Verstappen também havia parado. Era interessante acompanhar quatro carros, de duas equipes, mas com estratégias bem distintas entre si. Com pneus mais novos, Vettel conseguiu ultrapassar Hamilton e subiu para segundo. Em seguida, Rosberg teve o seu companheiro de equipe pela frente, mas Lewis ofereceu resistência antes de entrar nos boxes e surpreender ao colocar pneus médios.


Foi aí que a F1 viveu um momento de enorme susto. Na volta 19, Fernando Alonso perdeu o ponto de freada na curva 3, acertou o carro de Esteban Gutiérrez e virou passageiro. A McLaren do espanhol capotou e ficou parada de encontro ao muro completamente destruída. Por muita sorte, Alonso escapou andando. A direção de prova, em princípio, havia acionado o safety-car, mas por conta da enormidade de detritos na pista, optou por acionar bandeira vermelha e interromper a corrida.

A ordem da corrida era: Vettel, Rosberg, Räikkönen, Ricciardo, Verstappen, Sainz, Hamilton, Massa, Grosjean e Hülkenberg no rol dos dez primeiros.

Depois de pouco mais de 20 minutos, a prova foi retomada em Melbourne, mas sem a presença de Rio Haryanto no grid, já que o novato tinha problemas em seu carro e não conseguiu voltar à pista. Vettel sustentou a liderança usando pneus supermacios. Rosberg vinha em segundo com os médios, enquanto Kimi seguia em terceiro, também com os supermacios. Mas por pouco tempo. Na volta 23, o finlandês voltou aos boxes com problemas no motor Ferrari e abandonou a corrida, que ficava cada vez mais com a cara de Rosberg.

Outra boa surpresa era o ótimo desempenho da Haas com Romain Grosjean, que vinha em oitavo lugar na volta 30 da corrida. E a Toro Rosso seguia brilhando, com Hamilton, em sétimo, sofrendo para passar Carlos Sainz — algo que só foi possível com a entrada do espanhol nos boxes. Mais atrás, Wehrlein fazia uma grande estreia e vinha andando à frente dos carros da Sauber.

Assim como Sainz, Verstappen foi aos boxes, mas a Toro Rosso não estava preparada para recebê-lo por ter chamado antes Sainz. O problema irritou o holandês, além de fazê-lo despencar para 11º na prova.



Único na pista com os supermacios naquela altura da prova, Vettel fez sua segunda parada na volta 36. O alemão voltou com pneus macios, enquanto Rosberg assumia a liderança e continuava na prova com os médios, indicando que o piloto da Mercedes seguiria sem mais paradas até o fim da prova. Para a Ferrari, a tática era uma só: voltas em ritmo de classificação para buscar Nico na pista e vencer a primeira corrida do ano.

Enquanto Vettel seguia diminuindo a vantagem para Rosberg, a grande atração era a luta entre Jolyon Palmer, Sainz e Verstappen pelo nono lugar. O piloto da Renault nitidamente era mais lento que as duas Toro Rosso, com Sainz à frente do holandês. O espanhol não conseguia ultrapassar Palmer, e aí Max buscava assumir a frente, mas também tinha dificuldades para ganhar posição. Sainz só conseguiu passar Palmer na abertura da volta 42, com Verstappen fazendo o mesmo pouco depois.

De volta ao grupo da frente, Hamilton conseguia ultrapassar Ricciardo e subia para segundo. O australiano também perdeu a posição para Vettel depois de ter entrado nos boxes para fazer sua derradeira parada para colocar pneus supermacios. Enquanto isso, Massa assumia momentaneamente o quarto lugar.

Massa não ofereceu resistência a Ricciardo que, com pneus bem mais rápidos e novos, ultrapassou o brasileiro na reta dos boxes na volta 46, fazendo a festa da torcida australiana. Mais atrás, Grosjean continuava brilhando e vinha em oitavo lugar para uma estreia contundente da Haas e Verstappen seguia chiando no rádio e pedindo para a Toro Rosso permitir que Sainz abrisse passagem por ele se considerar mais rápido naquele momento.

Restando quatro voltas para o fim, Verstappen não segurou o ímpeto e acabou rodando na penúltima curva do circuito depois de quase bater em Sainz. Por sua vez, Hamilton tinha de se segurar na pista com pneus médios mais desgastados contra um Vettel no apetite para começar a temporada com um grande resultado e usando pneus macios mais novos. Mas o alemão cometeu um erro no fim da prova e acabou por perder qualquer chance de chegar ao segundo lugar, sacramentando a dobradinha da Mercedes, com Rosberg no topo do pódio e Hamilton em segundo lugar.

 

Fonte - MSN

Fotográfo - Divulgação

 
 
 
 
 
 
Portaljipa © Direitos Reservados - Conheça os nossos Termos de uso
Portaljipa - Seu guia virtual! - 27.316.530/0001-08
  •  
  •  
  • Portaljipa