• Dr. Flavio Carlos Otorrinolaringologia
  • Universidade Unopar Polo Ji-Paraná
  • Auto Escola Norte
  • Viva Bela Cosméticos
  • Materjipa Materiais para Construção
  • Faculdade UNIJIPA
  • Chácara da Sefin
  •  INSIDE
  • Rondônia é reconhecido como área ausente de praga para cancro cítrico

    Agronegócios
    3 minutos de leitura

    Paulo Portaljipa EM 19/03/2018 ÀS 16:31:34

    Rondônia é reconhecido como área ausente de praga para cancro cítrico

    O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) concedeu o status máximo de pragas quarentenárias ao estado de Rondônia, que agora é área com praga ausente para cancro cítrico. A medida contribui para a comercialização de frutos cítricos (como laranja e limão), já que a partir desse status não é necessário emissão de documentação fitossanitária para envio desses produtos para outros estados.

    O coordenador do Programa de Pragas da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), João Paulo Quaresma, explica que o reconhecimento foi possível após trabalho de levantamento da praga, realizado pela Agência nos pomares cítricos em todo o Estado. Nos anos de 2016 e 2017, foram 745 levantamentos em propriedades e viveiros produtores de mudas de citros.

    Com o objetivo de manter o status fitossanitário conquistado, novos levantamentos estão sendo realizados e programados, mas a população também deve contribuir. A Idaron orienta que o consumidor exija documentação fitossanitária certificando que a muda ou fruto esteja livre da praga e que em caso de dúvida procure a Agência para receber orientações a respeito.

    A citricultura apresenta um grande potencial no Estado de Rondônia, principalmente para a produção da Lima ácida tahiti (limão tahiti), que além de atender o consumo interno, é comercializado com outros estados, como Acre, Amazonas e Mato Grosso. Em Rondônia, os municípios com mais propriedades com cultivo comercial de citros são Ministro Andreazza, Presidente Médici, Cacoal, Rolim de Moura, Espigão do Oeste e Porto Velho. O cultivo é realizado principalmente como alternativa de renda nas pequenas propriedades rurais.

    Além do cancro cítrico, a Idaron está realizando levantamento das pragas HLB/greening (Candidatus liberibacter) e o ácaro-hindu-dos-citros (Schizotetranychus hindustanicus). Em caso de suspeita, o servidor coleta a amostra e a Agência encaminha para diagnóstico fitossanitário em laboratório credenciado ao Mapa.

    Cancro cítrico

    O cancro cítrico é causado pela bactéria Xanthomonas citri subsp. citri, que afeta todas as espécies e variedades de citros de importância comercial. A praga é originária da Ásia, onde ocorre em todos os países produtores de citros. No Brasil foi constatada pela primeira vez no ano de 1957, nos estados de São Paulo e Paraná.

    O impacto econômico da doença é causado pela desfolha das plantas, queda prematura frutos, depreciação da qualidade da produção devido às lesões que causam nos frutos e proibição a comercialização para áreas onde a praga não ocorre.


    Fonte
    Texto: Amabile Casarin e João Paulo Quaresma
     
     
     
     
     
     
    Portaljipa © Direitos Reservados - Conheça os nossos Termos de uso
    Portaljipa - Seu guia virtual! - 27.316.530/0001-08