Alerta preventivo contra Influenza Aviaria é divulgado no Brasil

O aumento do número de casos de Influenza Aviaria (IA) nos Estados Unidos motivou a emissão de um alerta preventivo do Ministério da Agricultura brasileiro sobre a doença. ...

Agronegócios
3 minutos de leitura

Paulo Portaljipa EM 20/07/2015 ÀS 18:22:42

Alerta preventivo contra Influenza Aviaria é divulgado no Brasil

O aumento do número de casos de Influenza Aviaria (IA) nos Estados Unidos motivou a emissão de um alerta preventivo do Ministério da Agricultura brasileiro sobre a doença. Para evitar que a enfermidade chegue ao Brasil, uma vez que já está no continente americano, uma mensagem do Mapa foi repassada a todos os estados. “A Influenza Aviaria nunca foi detectada no Brasil (...) o que nos coloca em uma condição privilegiada perante outros grandes produtores mundiais, embora o risco de introdução desta enfermidade seja iminente”, diz a nota.





A coordenadora do Programa Nacional de Sanidade Avícola na Superintendência Federal da Agricultura do RS, Taís Barnasque, garante que não há pânico, apenas um pedido adicional de atenção à biosseguridade. “Não temos nenhuma medida complementar sendo implementada, apenas queremos que os veterinários do serviço oficial e privado estejam atentos e que os produtores revisem e reforcem as práticas já realizadas”, afirma. Entre as medidas recomendadas estão telas antipássaros, cercas de isolamento ao redor de galpões, controle de trânsito de veículos e pessoas e utilização de roupas e calçados limpos para a entrada nas granjas.
 
O Mapa recomenda ainda que a importação de material genético de locais que registraram casos de Influenza Aviaria de alta patogenicidade seja suspensa temporariamente ou realizada com amplo rigor sanitário. A nota traz ações importantes a serem implementadas ou ampliadas pelo serviço oficial, integradores e produtores.
 
O serviço de Sanidade Avícola da Secretaria da Agricultura já realiza todas as práticas recomendadas pela nota do Mapa. Conforme a fiscal estadual agropecuária Flávia Bornancini Borges Fortes, “as notificações são verificadas em até doze horas, e as propriedades são todas cadastradas”. Os dois sítios de aves migratórias do RS (Lagoa do Peixe e Reserva do Taim) terão o acompanhamento retomado neste semestre.
 
O diretor executivo da Asgav, José Eduardo Santos, afirma que o setor privado está ciente e as agroindústrias e cooperativas têm tomado todo o cuidado, reforçando medidas de biossegurança “Não podemos fragilizar nosso status sanitário. Nos preocupamos com a vulnerabilidade em função das aves migratórias, por isso todos estão vigilantes e adotando medidas preventivas”, garante.
 
No país norte-americano já são mais de duzentos focos, desde a primeira detecção de casos em aves migratórias em dezembro de 2014. Os prejuízos no setor avícola do país ultrapassam U$ 1 bilhão.
 
Fundesa contribui para controle e prevenção de doenças
 
O presidente do Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal (Fundesa), Rogério Kerber, afirma que o Fundo está trabalhando na difusão da informação junto aos produtores e empresas contribuintes. “Não queremos que haja desespero por parte de produtores e sociedade em geral, pois as medidas já implementadas oferecem bastante segurança. Entretanto, não podemos relaxar em relação à possibilidade de entrada da doença no país. Precisamos ficar sempre atentos.”
 
Também faz parte do processo de controle de enfermidades a realização de um Inquérito Epidemiológico para Influenza Aviaria e New Castle, que deve ocorrer a partir de setembro em mais de duzentas granjas no estado. O treinamento dos médicos veterinários do serviço oficial deve ocorrer no mês de agosto. O Fundesa participa com recursos para a aquisição de material para a coleta, que é importado.


Autoria: Mapa


 

Fonte - Assessoria

Fotográfo - Divulgação

 
 
 
 
 
Portaljipa © Direitos Reservados - Conheça os nossos Termos de uso
Portaljipa - Seu guia virtual! - 27.316.530/0001-08